ABRO - Nota sobre o uso do protetor de tireoide durante as radiografias odontológicas

ABRO - Nota sobre o uso do protetor de tireoide durante as radiografias odontológicas Dmitry Kalinovsky / Shutterstock

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA

Nota sobre o uso do protetor de tireoide durante as radiografias odontológicas

1) Não existem dados científicos que demonstrem a associação entre as radiografias odontológicas e o aumento do risco de câncer de tireoide.

2) Os exames por imagem em Odontologia devem ser realizados somente em pacientes com indicação clínica. As informações provenientes dos exames por imagem complementam os dados clínicos para a conclusão do diagnóstico e auxiliam a elaborar o plano de tratamento. Sendo assim, quando corretamente indicadas os pacientes são os maiores beneficiados.

3) A portaria SVS/MS nª 453 de 01 de junho de 1998 do Ministério da Saúde regulamenta todas as medidas necessárias para assegurar a radioproteção. Desde então, a ABRO mantém sua postura de referendar sua aplicação quanto ao controle da qualidade da radiação, quanto à utilização adequada da filtração, colimação e distância foco-pele, quanto ao uso dos posicionadores radiográficos e das vestimentas plumbíferas, bem como a aquisição de radiografias com receptores digitais/filmes radiográficos que possuam alta sensibilidade e que minimizem o tempo de exposição à radiação do paciente. Também quanto à importância de manter regulares inspeções e manutenções dos equipamentos utilizados na Radiologia Odontológica.

4) Especialmente, para realização da Radiografia Panorâmica e da Tomografia Computadorizada por Feixe Cônico da região da mandíbula, os protetores de tireoide não devem ser utilizados. Pois, seu uso afeta a qualidade da imagem e consequentemente o diagnóstico, o que levaria a necessidade de repetição do exame por imagem.

Portanto, a Associação Brasileira de Radiologia Odontológica reitera sua posição de não recomendar o uso de protetor de tireoide em exames de radiografia panorâmica e exames de tomografia computadorizada por feixe cônico da região da mandíbula. Essa posição está de acordo com dados científicos presentes na literatura e com o posicionamento de outras entidades internacionais: American Dental Association, European Commission Guide line e National Councilon Radiation Protection & Measurements (NCRP).

Fonte: ABRO - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA

 

Read 6148 times

Unidade I: Rua Pedro Borges, 135 S/304 - Ed. Portugal - Centro, Fortaleza - CE
Unidade II: Rua Marcos Macêdo, 1333 S/1016 - Pátio Dom Luis - Torre II - Aldeota, Fortaleza - CE
Unidade III: Av. Humberto Monte, 2929 S/820B - Ed. Harmony Premium - Parquelândia, Fortaleza - CE
Unidade IV: Rua Rodrigues Júnior - Centro, Quixadá - CE
Unidade V: Av. Oliveira Paiva, 1090 - Cidade dos Funcionários, Fortaleza - CE

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados a Oral Scan.
Contato: oralscanaldeota@oralscan.com.br